Rastreabilidade Vegetal de frutas e hortaliças

O prazo para implantação da rastreabilidade de frutas e hortaliças já começou. Até 29 de janeiro de 2020 todos os produtores devem se enquadrar à legislação, que será exigida no país – e em mercados internacionais – para o controle de agroquímicos.

para orientar os produtores rurais e esclarecer as dúvidas, o Sistema FAEMG tem promovido palestras regionais em todo o estado. Essa semana, o encontro no Sindicato Rural de Itabira reuniu cerca de 40 participantes.

O analista de agronegócios da FAEMG, Caio Coimbra, apresentou também a plataforma Agri Trace Rastreabilidade Vegetal, desenvolvida pelo Instituto CNA, para auxiliar o produtor a atender às regras.

“O produtor deve inserir seus dados pessoais, a localização da propriedade, os produtos comercializados, quantidade, numeração do lote, data de colheita, e informações do comprador, conforme exigido pela instrução normativa. Mas, além das informações obrigatórias, o sistema possibilita também inserir informações sobre o plantio realizado, como data da colheita, definição do talhão plantado, localização, insumos utilizados e até os tratos culturais realizados. As grandes redes de supermercados já estão exigindo a rastreabilidade dos itens, e esse histórico pode até, em alguns casos, gerar maior valor agregado aos produtos”.