CNA apresenta propostas para simplificar acesso ao crédito fundiário

Para simplificar o acesso dos empreendedores familiares rurais ao Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentou, na quarta (27), sugestões para facilitar o acesso a essa linha de crédito.

O tema foi discutido em reunião entre o secretário adjunto da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério da Agricultura, Ewerton Giovanni dos Santos, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) e vice-presidente da CNA, José Zeferino Pedrozo, e o diretor de Políticas da Agricultura Familiar e da Pesca de Santa Catarina, Hilário Gottselig.

Entre as sugestões apresentadas estão a transferência dos recursos do Fundo Nacional de Crédito Fundiário para os estados, a desburocratização do PNCF e a ampliação da contratação de financiamentos para os agricultores familiares.

de acordo com Pedrozo, o acesso ao crédito fundiário é primordial para o desenvolvimento da agricultura familiar. “As iniciativas possibilitarão a desburocratização e a flexibilização do fluxo para dar agilidade no processo de contratação garantindo o controle e monitoramento dos processos”, destacou o vice-presidente da CNA.

Durante a reunião, o representante do governo de Santa Catarina apresentou o levantamento da situação do PNCF em Santa Catarina. “são 93,4% dos estabelecimentos rurais de agricultores familiares. ao todo são 14.666 contratos realizados para aquisição de terras no Estado”, destacou.

“Hoje nós temos um programa que está burocratizado e moroso. no entanto, muitas vezes não se consegue contratar justamente por causa da burocracia. As sugestões vão otimizar todo o processo,” afirma Gottselig.

Também participaram da reunião a assessora técnica da Comissão Nacional de Empreendedores Familiares Rurais da CNA, Marina Zimmermann, o diretor de Jovens de Política Agrária e Meio Ambiente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Santa Catarina (FETAESC), Adriano Gelsleuchter e o diretor de Crédito Fundiário da Secretaria de Agricultura Familiar do Mapa, Carlos Everardo.