JORNADA PEDAGÓGICA REÚNE GERENTES E INSTRUTORES PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O TRABALHO COM JOVENS

Texto produzido por Faemg

Nos dias 14 e 15 de março, aconteceu a IV Jornada Pedagógica, em Belo Horizonte. O evento teve como tema Ensino-Aprendizado de Jovens e Adolescentes e contou com a condução da assessora pedagógica do Sistema Faemg / Senar Minas Mirian Rocha e da pedagoga e instrutora Solange Regina Pinto, com a presença de nove gerentes regionais e mais de trinta instrutores.

Segundo Mirian, o foco da jornada sempre é trabalhar com o jovem. O Sistema Faemg/Senar Minas está voltando os olhares para os jovens, por isso a capacitação dos instrutores para trabalhar com esse público.

Desde a primeira edição da Jornada, o conteúdo básico é o mesmo, apenas adicionando exemplos de acordo com a atualidade. A organizadora ainda enfatizou a importância da criatividade dos instrutores: “não existe uma receita pronta de como trabalhar com o jovem. É colocar a criatividade para funcionar, então nós temos uma metodologia e um conteúdo que é trabalhado e eles vão pensar em como aplicar isso de forma criativa para atrair o interesse do aluno.”

Ao fundo, Mírian Rocha observa as atividades da Jornada

A Jornada incluiu atividades abordando os temas de qualificação dos jovens, programas especiais do Senar, peculiaridades referentes aos programas, entre outros. A instrutora Solange comentou que a cada edição da Jornada, a experiência fica mais gratificante. “O objetivo da Jornada é trazer para o instrutor como trabalhar com o jovem, quais as técnicas, o que é preciso compreender para entender essa geração. A experiência é fantástica.” Ela ainda completou falando da importância de aprender a usar a tecnologia com os mais novos – o celular e outros aparelhos móveis podem e devem ser usados a favor dos instrutores.

Solange Regina: “Experiência fantástica”

Na visão da gerente regional de Sete Lagoas, Ciane Pereira, a proposta do evento é interessante, pois proporciona um embasamento aos instrutores que vão trabalhar com a juventude de conhecer sua realidade e ter uma ideia do seu comportamento. “Nesse sentido, é bom para que eles tenham uma compreensão de certas respostas, certas atitudes que os jovens têm. É importante que o instrutor tenha sensibilidade de entender que os jovens estão vivendo uma fase de transição.”

Ciane Pereira: Jornada contribui para entender a fase de transição dos jovens

O instrutor e engenheiro agrônomo, Marcio Anis, reforçou que foram dias produtivos e que a temática do evento foi nova para ele. Marcio destacou que eventualmente seus alunos são adolescentes e, com as atividades da Jornada, facilitou lidar com o público mais novo e nas dificuldades que eles possam ter. “A questão da necessidade que nós, instrutores, temos, de cultivar paciência ao ter contato com esses jovens. Mas agora estamos sendo capacitados para exercê-la.”

Márcio Anis: cultivar a paciência no contato com os jovens