Rede ODS Brasil de Pernambuco conta com a participação da Embrapa

No dia 31 de janeiro, no Recife, foi fundada a Rede Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Brasil/PE, que conta com a Embrapa, com a Unidade de Execução de Pesquisa – UEP/Recife. Na agenda da Rede pernambucana estão o fortalecimento da Agenda 2030 e o desenvolvimento estratégico do estado.

“A Rede ODS Brasil/PE, terá apoio da Embrapa Solos e da Rede ODS Embrapa para atender a Agenda 2030. A sociedade quer a redução da desigualdade, fome e impactos ambientais negativos, assim como melhorias na condição de vida da população com desenvolvimento responsável” diz a pesquisadora da Embrapa Solos Selma Tavares.
[more]
A posição estratégica da UEP Recife, equidistante dos outros centros de pesquisa da Embrapa no Nordeste facilita o intercâmbio. Selma também lembrou a importância do mapeamento adequado do solo e o impacto positivo que esse estudo traz para uma agricultura sustentável.

A criação da Rede pernambucana atende demanda da Rede ODS Brasil que busca maior interlocução e participação do estado no tema desenvolvimento sustentável. Além da Embrapa, também fazem parte da Rede a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Caixa Econômica Federal, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), Correios; Prefeitura Municipal de Camaragibe e o Comitê de Entidades e Pessoas – COEP no Combate à Fome e às Desigualdades. As entidades pretendem compor uma agenda comum de ações com foco nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A Rede foi fundada para conectar iniciativas, promover debates e criar uma agenda comum denominada “Agenda do Presente e Futuro” que reúna academia, sociedade civil organizada, instituições governamentais, secretarias e prefeituras do estado. Seu foco é a promoção do desenvolvimento econômico, social e ambiental do estado e o fortalecimento das Redes ODS estadual e nacional a partir de um diálogo transparente e aberto.

A coordenação da Rede ODS Brasil/PE está a cargo da UFRPE. Para Carolina Raposo, reitora de planejamento da instituição, este momento inicial é importante para integração das instituições e trocas de experiências.

“A Rede também pode ser vista como Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado de Pernambuco com a sua agenda como plano estratégico. É importante o respaldo de resultados para que a Rede permaneça independente do governo e se mantenha em articulação nacional com políticas que tiveram sucesso ao redor do mundo”, lembra Walber Santana, também da UFRPE.

Sendo a UFRPE o órgão gerenciador da rede, Selma Tavares sugeriu a criação de um link da Rede ODS Brasil/PE com uma plataforma de práticas que tiveram sucesso, um cadastro por meio do qual as experiências possam ser esboçadas no Portal da Universidade.

Algumas práticas de sucesso foram apresentadas no encontro, como o Projeto de recursos genéticos de abelhas aplicados como bio-indicadores de qualidade ambiental (UFRPE), as barragens subterrâneas (Embrapa), o Projeto DENGOSA, que trabalha arte e educação no controle das endemias, controle da água e de alimentos saudáveis (Secretaria de Saúde de PE), o projeto de viveiro e produção de mudas (Prefeitura de Camaragibe), o projeto Central Park de Camaragibe, que com segurança pública, iluminação e ações sociais recuperaram 27 hectares em área de risco (Procuradoria de Camaragibe) e o projeto de aproveitamento de alimentos que tem feito a diferença na renda familiar, educação ambiental e mudança comportamental, aumentando a renda de comunidades selecionadas (UFRPE).

No dia 31 de janeiro, no Recife, foi fundada a Rede Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Brasil/PE, que conta com a Embrapa, com a Unidade de Execução de Pesquisa – UEP/Recife. Na agenda da Rede pernambucana estão o fortalecimento da Agenda 2030 e o desenvolvimento estratégico do estado.

“A Rede ODS Brasil/PE, terá apoio da Embrapa Solos e da Rede ODS Embrapa para atender a Agenda 2030. A sociedade quer a redução da desigualdade, fome e impactos ambientais negativos, assim como melhorias na condição de vida da população com desenvolvimento responsável” diz a pesquisadora da Embrapa Solos Selma Tavares. A posição estratégica da UEP Recife, equidistante dos outros centros de pesquisa da Embrapa no Nordeste facilita o intercâmbio. Selma também lembrou a importância do mapeamento adequado do solo e o impacto positivo que esse estudo traz para uma agricultura sustentável.

A criação da Rede pernambucana atende demanda da Rede ODS Brasil que busca maior interlocução e participação do estado no tema desenvolvimento sustentável. Além da Embrapa, também fazem parte da Rede a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Caixa Econômica Federal, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), Correios; Prefeitura Municipal de Camaragibe e o Comitê de Entidades e Pessoas – COEP no Combate à Fome e às Desigualdades. As entidades pretendem compor uma agenda comum de ações com foco nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A Rede foi fundada para conectar iniciativas, promover debates e criar uma agenda comum denominada “Agenda do Presente e Futuro” que reúna academia, sociedade civil organizada, instituições governamentais, secretarias e prefeituras do estado. Seu foco é a promoção do desenvolvimento econômico, social e ambiental do estado e o fortalecimento das Redes ODS estadual e nacional a partir de um diálogo transparente e aberto.

A coordenação da Rede ODS Brasil/PE está a cargo da UFRPE. Para Carolina Raposo, reitora de planejamento da instituição, este momento inicial é importante para integração das instituições e trocas de experiências.

“A Rede também pode ser vista como Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado de Pernambuco com a sua agenda como plano estratégico. É importante o respaldo de resultados para que a Rede permaneça independente do governo e se mantenha em articulação nacional com políticas que tiveram sucesso ao redor do mundo”, lembra Walber Santana, também da UFRPE.

Sendo a UFRPE o órgão gerenciador da rede, Selma Tavares sugeriu a criação de um link da Rede ODS Brasil/PE com uma plataforma de práticas que tiveram sucesso, um cadastro por meio do qual as experiências possam ser esboçadas no Portal da Universidade.

Algumas práticas de sucesso foram apresentadas no encontro, como o Projeto de recursos genéticos de abelhas aplicados como bio-indicadores de qualidade ambiental (UFRPE), as barragens subterrâneas (Embrapa), o Projeto DENGOSA, que trabalha arte e educação no controle das endemias, controle da água e de alimentos saudáveis (Secretaria de Saúde de PE), o projeto de viveiro e produção de mudas (Prefeitura de Camaragibe), o projeto Central Park de Camaragibe, que com segurança pública, iluminação e ações sociais recuperaram 27 hectares em área de risco (Procuradoria de Camaragibe) e o projeto de aproveitamento de alimentos que tem feito a diferença na renda familiar, educação ambiental e mudança comportamental, aumentando a renda de comunidades selecionadas (UFRPE).